expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Páginas

27 de nov de 2014

O que de fato você enxergou em mim?


Li em um jornal qualquer, naquele cantinho dedicado a poesia e a crônicas: Obrigado por enxergar em mim, algo que ninguém nunca viu. Recortei delicadamente, coloquei em seu paletó, desfaçando devagarzinho, minha gratidão... [...] Dias depois descobri, que não era tão assim, não foi essa visão, que o atraiu... julguei ser apenas por conveniência, quase enlouqueci, bastou apenas uma frase, e descobri que não era tão bela, por dentro, quando imaginava ser... borboletas viraram dragões, e eu senti minha pele queimar... todos os elogios susurrados, toda a poesia não fez mais sentido. Neste dia, vi o que era relacionar-me de verdade, foi neste dia que vi que contos de fadas podem existir em partes, mas antes de eles viverem felizes para sempre, nas entrelinhas, a muito a ser contado. O que enxergou em mim de fato? O que você viu que ninguém mais viu?

XOXO
Gabriela B.
XVII

Nenhum comentário:

Postar um comentário